terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Feriado

Finalmente!
Seu sonho enfim se realizava. Uma praia de nudismo. Sonho de menina, desde a longínqua cidadezinha do interior pernambucano onde nascera.
Seu pai não aprovara. "Coisa de mulher vagabunda". Sua mãe morrera de vontade de acompanhá-la. E lá estava ela. O nível de curiosidade e excitação estava a mil.
...
Quinze minutos depois, só vontade de ir embora. Tudo muito normal, exceto o fato de estarem todos nus.

E o mais estranho é que ninguém ali se mostrava de verdade. Todos escondidos embaixo de sua nudez.

7 comentários:

Juliana Caribé disse...

E o pior é que é assim mesmo. Nem despidos estamos realmente nus...

Madah disse...

As pessoas perdem a vontade de se despir, ao perceberem que sempre ficaram nuas na frente das pessoas erradas.

Rafael disse...

Completando o comentário da Ju, andamos nus pelas ruas e não percebemos.
(apesar de eu nunca ter ido a uma praia de nudismo pra saber)

Natália Alves disse...

"E o mais estranho é que ninguém ali se mostrava de verdade. Todos escondidos embaixo de sua nudez".


Colocação perfeita. A gente sempre esconde alguma coisa, mesmo quando não há bolso.

abraço!

alex pinheiro disse...

Carca se não é a "filosofia suja" de Moacir Caetano... Fiquei refletindo também!

Abraços e desnudas invenções!

Hipacia disse...

OLá! Obrigada pelo comentário... interessante a ligação do título com o texto, sutil e ambígua. Até mais!

Van disse...

A verdadeira nudez só é vista com olhos de dentro!
;)
Beijucas, querido.
Você é muito, muito bom!

Arquivo do blog