domingo, 27 de janeiro de 2008

Domingo

Se ao menos falassem, as gotas de chuva.
Alguém me disse uma vez que conversam, as danadinhas. Alguém cheio de poesia. Não me lembro quem. Mas eu nunca entendi.
Deve ser porque sou amigo do Sol. Não sei a linguagem da chuva.
Uma amiga me disse uma vez que só entende a liguagem da Lua. Ah, a Lua sabe das coisas. A lua tem uma conversa toda feita de silêncios. Ela sabe, a velha Lua, que essa é a melhor música pros namorados.

Enquanto isso, chovo raios de sol enluarados.











http://moacircaetano.zip.net

9 comentários:

Van disse...

Oi Moacir...
Obrigada pela visita e comentário lá no VAN Filosofia!
Adorei!

Adorei tudo por aqui também.
Teus escritos têm uma certa melancolia que me agrada.
Quanto ao post, se quiser te ensino a linguagem das tempestades. Sempre fui apaixonada por elas. Sei decor as palavras e os sussurros que a chuva, os ventos fortes, os raios e as tempestade gritam!
Ouça:
Vem vindo uma tempestade!
Abra as janelas e deixe-a entrar!

Beijucas

PS: Vou linkar teu blog. Estarei sempre por aqui.

Juliana Caribé disse...

Que lindo!
"A lua tem uma conversa toda feita de silêncios." - Super sensível.
Eu também sou amiga do sol...

Beijos.

Nano Costa disse...

Olá Goiano, fica o mistério... O que opota declamará aqui em Sampa: Poesia ou Prosa?

PS: Vamos no maraca dia 18!

Juliana Stanzani. disse...

Intensidade é a mágua e o sorrir que coisa qualquer desperta em um ironicamente não qualquer.
Isso aqui tem cheiro de chuva e das pétalas do bem me quer.
Da escrita não tão esquizofrênica levo o sentir fora do ninho e o asco do sol, que não é pra fazer pose de má, é mesmo pela causa da vaidade. Deixo na conta do mal me quer.
Um beijo na mais nova leitura externa semanal.
De novo, do velho, beijo.

Juliana Stanzani. disse...

Então não é? o gostar é dessa gente-poesia que insiste em todo dia recitar o viver.
Vida recitada é mais a vida de quem ouve, escreve poética sem saber.
Ps: covarde quem calou a chuva, realmente.

Ady Cavalcante disse...

Belíssimo esse texto. E mais bela ainda a sua chuva "chovo raios de sol enluarados". Tem dias que também me sinto assim!!! Beijos!!!!

Juliana Pestana disse...

Se eu disser que poderia roubar todas as letrinhas dessa prosa eu seria um pouco... repetitiva??

Que bom que existe a sua prosa pra materializar esses sentimentos.

Bjo grande.
Estou de volta... obrigada pelo incentivo. Dps de ler o seu recado decidi que, definitivamente, precisava voltar. ;-)

Natália Alves disse...

Não sei a linguagem da chuva*

cada vez adoro mais passear por aqui toda prosa...

beijos! fique com Deus

IsaBellinha disse...

Não precisa entender mais nada!

:D

Arquivo do blog